Artigos
Câmara de Bocaina do Sul
Câmara de Campo Belo do Sul
Câmara de Cerro Negro
Câmara de Otacílio Costa
Câmara de Rio Rufino
Câmara de São José do Cerrito
Câmara de Urubici
Câmara de Urupema
Câmara do Painel
Coluna DR.Manoel
Cultura
Editais
Editorial
Educação
Esportes
Estamos de Olho
Fique Sabendo
Geral
Meio Ambiente
Negócios
O Tema é...
Polícia
Política
Saúde
Tecnologia
Trânsito
 

Governo do Estado capacita produtores da região serrana para o cultivo de fruta nobre
Cadastrado em: 3/5/2012

Tamanho da letra

Lages

Nos dias 3 e 4 de abril, produtores rurais interessados em lucrar com o plantio da physalis participaram de um seminário no Centro de Ciências Agroverinárias (CAV), em Lages. O evento foi promovido pelo Governo do Estado, que vem buscando meios para fortalecer a agricultura familiar. “Estamos investindo no pequeno produtor para impulsionar o agronegócio, e a economia sentirá os impactos”, diz o secretário de Desenvolvimento Regional, Jurandi Agustini.
A serra catarinense é uma das regiões pioneiras no cultivo da pequena fruta. Em 2006, alunos do CAV plantaram as primeiras sementes, vindas da Colômbia. Posteriormente, foram distribuídas mudas para vários produtores rurais. Começou aí o processo de expansão nas lavouras. Porém, apesar de saborosa, a physalis não vem rendendo grandes lucros devido à escassez de técnicas de cultivo e comercialização.
O seminário foi promovido justamente para reverter o quadro. Palestrantes da Universidade Nacional da Colômbia, do Instituto Federal de Farroupilha (RS), e da Fundação Oswaldo Cruz (RJ) trouxeram informações que devem ser aplicadas na prática para que a fruta conquiste o mercado que tem em outras regiões. De acordo com o professor de fruticultura do CAV, Leo Rufato, o grande desafio é tornar a physalis conhecida. Para isso, é necessário que a fruta ganhe espaço no comércio durante os meses de colheita (dezembro a maio).
“Esse processo de consolidação passa pela qualidade da genética. Se o produtor misturar sementes inferiores, a fruta perderá o sabor, e o consumidor final não se sentirá atraído a comprar novamente”, ressalta. Para atingir os objetivos, foi proposta a criação de uma associação para gerenciar a produção e a comercialização.
O encerramento do seminário aconteceu em uma propriedade de São José do Cerrito, na tarde de quarta-feira (4). Os participantes tiveram uma aula prática com o produtor Lauri de Moraes, que possui mais de mil pés da fruta. Cada pé produz até quatro quilos por safra, sendo que cada quilo agrega aproximadamente 200 unidades. Na região, o quilo é vendido, em média, por R$ 20. Em outros estados, chega a custar R$ 80. Além do consumo puro, a fruta vem sendo bastante utilizada na produção de bombons, sucos e caipirinhas.

Fonte: Texto: Fábio Ramos - Foto: Divulgação

Compartilhe esta página: Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no MySpace

 

Nome:
E-mail:
 
 
ANO 13 - Nº 164 - SETEMBRO / OUTUBRO 2014
nike shox hogan scarpe calcio Tiffany christian louboutin Scarpe Adidas superstar Scarpe Reebok Adidas Scarpe nike sb Scarpe nike air force air jordan adidas scarpe Tacchi Scarpe da donna Scarpe Scarpe Adidas adidas Scarpe Scarpe Scarpe hogan oakley nike air presto new balance nike air max adidas Scarpe nike free
Todos os direitos reservados à Jornal O Palanque - Produzido por WLSistemas
nike shox hogan scarpe calcio Tiffany christian louboutin Scarpe Adidas superstar Scarpe Reebok Adidas Scarpe nike sb Scarpe nike air force air jordan adidas