Artigos
Câmara de Bocaina do Sul
Câmara de Campo Belo do Sul
Câmara de Cerro Negro
Câmara de Otacílio Costa
Câmara de Rio Rufino
Câmara de São José do Cerrito
Câmara de Urubici
Câmara de Urupema
Câmara do Painel
Coluna DR.Manoel
Cultura
Editais
Editorial
Educação
Esportes
Estamos de Olho
Fique Sabendo
Geral
Meio Ambiente
Negócios
O Tema é...
Polícia
Política
Saúde
Tecnologia
Trânsito
 

Instalação de fábrica de aviões em Santa Catarina é o primeiro passo para polo tecnológico do setor
Cadastrado em: 4/9/2012

Tamanho da letra

| Lages |

O governador Raimundo Colombo, acompanhado do ministro de Ciência e tecnologia, Marco Antônio Raupp, assinou protocolo de intenções para a instalação da empresa Novaer Craft, de São José dos Campos, em Santa Catarina, nesta segunda-feira, 3. A iniciativa representa um investimento de R$ 80 milhões para iniciar a produção da primeira aeronave em série do Estado, a T-Xc. Serão dois centros: um de desenvolvimento de projetos na Grande Florianópolis e outro de fabricação e montagem da aeronave em Lages. “Vamos aliar a capacidade produtiva da Serra catarinense com a inovação de Florianópolis e de seu capital humano no desenvolvimento de projetos e de tecnologia de ponta. A Serra tem hoje dois aeroportos subocupados e que serão essenciais para permitir os testes e o destino da produção”, afirmou o governador Raimundo Colombo.
A proposta da empresa é iniciar a produção em dois anos, com 400 empregados diretos para produzir anualmente 120 aviões. “Em toda a cadeia produtiva, devem ser gerados cerca de 1.500 empregos”, explica o presidente da Novaer Craft, Graciliano Campos. “No pico da produção, que deve ser atingido em três anos, decolarão do aeroporto Correia Pinto, de Lages, uma média de uma aeronave a cada três dias”, explicou o presidente da SCPar e secretário-executivo de Assuntos Estratégicos, Paulo César da Costa.
A SC Participações e Parcerias (SCPar) será sócia no empreendimento, com uma participação que atinge R$ 15 milhões, repassados gradativamente de acordo com os investimentos da Novaer no Estado. A ideia é que a instalação da empresa seja uma espécie de âncora para o início de um polo tecnológico aeroespacial em Santa Catarina. Atraídas pela demanda por peças e outras soluções tecnológicas, outras companhias do setor acompanhariam a paulista. Além da SCPar, serão parceiros importantes do desenvolvimento do polo, outros órgãos estaduais, como a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) e a Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). "O Estado reúne as condições ideias de estrutura, mão de obra qualificada e iniciativa empreendedora necessárias para o desenvolvimento dos nossos produtos", resumiu o presidente da Novar.
“Vejo que a busca do pioneirismo e da modernização, tanto social como no empreendedorismo, é aqui uma política de Estado. Esse é o espírito que tanto queremos para todo o Brasil”, disse o ministro da Ciência e Tecnologia, que ofereceu o apoio da empresa estatal Financiadora de Empresas e Projetos (Finep), para a instalação da infraestrutura da Novaer em Santa Catarina. A Finep já foi parceira da empresa no desenvolvimento do protótipo.
O protótipo da aeronave T-Xc terá duas versões - uma para transporte civil de 4 lugares e outra militar de 2 lugares para treinamento de novos pilotos - e deve estar pronto em abril de 2013. A certificação para poder comercializar, concedida pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e pela Aeronáutica no caso da versão militar, devem levar cerca de dois anos para serem concedidas pelos órgãos competentes. Cada aeronave tem o custo de US$ 700 mil e o faturamento anual da empresa deve ser de cerca de US$ 40 milhões.
Assim que tiver os protópipos certificados, a Novaer Craft inicia a produção, correspondente a cerca de 5% do mercado nacional (120 aeronaves), que é o segundo maior do mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos. De acordo com o presidente da empresa, a tecnologia da aeronave, produzida inteiramente em fibra de carbono, será uma das mais modernas do mundo, o que lhe garante competitividade inclusive no mercado internacional.
Hoje, a empresa de São José dos Campos já produz trens de pouso para o mercado nacional e também para exportação. “Nossa empresa é fruto do investimento que foi feito no polo de São José dos Campos desde 1940. Somos a segunda geração dessa iniciativa”, disse o presidente Graciliano Campos, que teve 24 anos de experiência dentro da Embraer e afirmou que os outros membros da diretoria também tem o mesmo nível de experiência no setor de aviação. “Esperamos ter aqui em Santa Catarina um cenário muito parecido com o que ocorreu no município, que cresceu vertiginosamente acompanhando o desenvolvimento da Embraer”, disse o governador.
Também acompanharam a assinatura do protocolo de intenções, o senador Luiz Henrique da Silvera, o presidente da Finep, Glauco Arbix; o reitor da Udesc, Antonio Heronaldo de Sousa; o presidente da Fapesc, Sérgio Gargioni; e o presidente da Fiesc, Glaco Corte. O presidente da Fiesc lembrou a iniciativa da entidade de, há três anos, iniciar a formação de especialistas em mecânica de aeronaves, por meio do sistema S, e disse que a Fiesc continuará sendo parceira do desenvolvimento desse setor de ponta.

Fonte: Fábio Ramos - Assessoria de Imprensa

Compartilhe esta página: Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no MySpace

 

Nome:
E-mail:
 
 
ANO 13 - Nº 164 - SETEMBRO / OUTUBRO 2014
nike shox hogan scarpe calcio Tiffany christian louboutin Scarpe Adidas superstar Scarpe Reebok Adidas Scarpe nike sb Scarpe nike air force air jordan adidas scarpe Tacchi Scarpe da donna Scarpe Scarpe Adidas adidas Scarpe Scarpe Scarpe hogan oakley nike air presto new balance nike air max adidas Scarpe nike free
Todos os direitos reservados à Jornal O Palanque - Produzido por WLSistemas
nike shox hogan scarpe calcio Tiffany christian louboutin Scarpe Adidas superstar Scarpe Reebok Adidas Scarpe nike sb Scarpe nike air force air jordan adidas