Artigos
Câmara de Bocaina do Sul
Câmara de Campo Belo do Sul
Câmara de Cerro Negro
Câmara de Otacílio Costa
Câmara de Rio Rufino
Câmara de São José do Cerrito
Câmara de Urubici
Câmara de Urupema
Câmara do Painel
Coluna DR.Manoel
Cultura
Editais
Editorial
Educação
Esportes
Estamos de Olho
Fique Sabendo
Geral
Meio Ambiente
Negócios
O Tema é...
Polícia
Política
Saúde
Tecnologia
Trânsito
 

Comissão coordenada pela Epagri irá pleitear a regularização do Queijo Serrano
Cadastrado em: 10/4/2013

Tamanho da letra

| Lages |

Regularizar a comercialização do Queijo Serrano. Esse foi o objetivo de um seminário que reuniu produtores do laticínio de toda a região, nesta quarta-feira, 10, na Uniplac. O evento foi promovido pelas secretarias regionais e gerências da Epagri de Lages e São Joaquim. “Precisamos tornar o queijo produzido na Serra Catarinense conhecido em todo o Brasil, e o primeiro passo é legalizar a venda. Vamos unir forças pra que esse objetivo seja alcançado”, disse o secretário de Desenvolvimento Regional de Lages, Gabriel Ribeiro.     
A regularização do Queijo Serrano junto ao Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI) será encaminhada por uma comissão formada durante o seminário. Tal comissão, formada por produtores e coordenada pela Epagri, será responsável por todo o trâmite, passando pela inspeção sanitária, indicação geográfica, organização de cadeias produtivas para o desenvolvimento territorial, e aprovação de linhas de crédito para a construção de queijarias. O processo terá o apoio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).     
A história conta que a produção do Queijo Serrano começou no século XVIII, quando os açorianos começaram a ocupar a região. O latícinio é feito de forma artesanal, tendo como matéria prima o leite cru. Atualmente, mais de dois mil fazendeiros espalhados pelos 18 municípios da Serra fabricam o produto, sendo que mais da metade deles veem a atividade como principal fonte de renda. Porém, apenas nove produtores tem autorização para comercializar o queijo.
De acordo com a coordenadora do programa estadual de capital social e humano da Epagri, Arlete Pucci, os números representam um déficit econômico significativo. “A legalização da venda abrirá um leque de mercado gigantesco, levando um produto de qualidade tipicamente serrano às prateleiras dos supermercados. Com isso, a rentabilidade irá aumentar”, diz Arlete.

Fonte: Fábio Ramos

Compartilhe esta página: Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no MySpace

 

Nome:
E-mail:
 
 
ANO 13 - Nº 164 - SETEMBRO / OUTUBRO 2014
nike shox hogan scarpe calcio Tiffany christian louboutin Scarpe Adidas superstar Scarpe Reebok Adidas Scarpe nike sb Scarpe nike air force air jordan adidas scarpe Tacchi Scarpe da donna Scarpe Scarpe Adidas adidas Scarpe Scarpe Scarpe hogan oakley nike air presto new balance nike air max adidas Scarpe nike free
Todos os direitos reservados à Jornal O Palanque - Produzido por WLSistemas
nike shox hogan scarpe calcio Tiffany christian louboutin Scarpe Adidas superstar Scarpe Reebok Adidas Scarpe nike sb Scarpe nike air force air jordan adidas