Artigos
Câmara de Bocaina do Sul
Câmara de Campo Belo do Sul
Câmara de Cerro Negro
Câmara de Otacílio Costa
Câmara de Rio Rufino
Câmara de São José do Cerrito
Câmara de Urubici
Câmara de Urupema
Câmara do Painel
Coluna DR.Manoel
Cultura
Editais
Editorial
Educação
Esportes
Estamos de Olho
Fique Sabendo
Geral
Meio Ambiente
Negócios
O Tema é...
Polícia
Política
Saúde
Tecnologia
Trânsito
 

Congresso internacional da carne teve participação catarinense
Cadastrado em: 5/7/2013

Tamanho da letra

| Goiânia/GO |

Santa Catarina esteve presente no Congresso Internacional da Carne, realizado em Goiânia, GO, de 25 a 27 de junho de 2013, por meio da participação de técnicos vinculados ao Projeto de Desenvolvimento da Pecuária de Corte da Serra Catarinense com o apoio da Associação Rural de Lages e Epagri. No evento, estiveram presentes delegações dos principais países produtores e consumidores de carne como Austrália, Argentina, Uruguai, EUA, Inglaterra, México, China, Paraguai, Colômbia e de diversas entidades nacionais e internacionais ligadas ao setor. O congresso teve como temática central “A melhor carne para Alimentar o Mundo”.
O Brasil como organizador buscou congregar diferentes segmentos da cadeia produtiva para dialogar a respeito dos desafios que o setor enfrenta, visando qualificar a atividade. Mais de 19 palestrantes e uma visita técnica abordaram diferentes visões dos setores envolvidos na produção de carnes, como: gestão, organização da cadeia produtiva, sanidade, qualidade, comercialização, promoção da carne e carne como alimento funcional.
A mensagem deixada pelos palestrantes é de que o Brasil tem potencial para aumentar a produção investindo em eficiência e tecnologia, mas também tem grandes desafios para prover ao mundo proteínas de alta qualidade em um cenário de demanda crescente da população. Tem produção da carne com custos competitivos comparando-se com os principais países exportadores, entretanto, deve harmonizar a cadeia produtiva para que os seus elos não se prejudiquem, e promova uma divisão equilibrada da eficiência e dos custos para quem utiliza boas práticas, tecnologia e inovação nos processos produtivos.
Cada vez se faz mais necessário que o governo ataque os gargalos de logística e infraestrutura que tem atravancado o desenvolvimento do país, com destaque para a defesa sanitária animal e rastreabilidade, para que possa cumprir as leis e acordos internacionais voltadas a proteção ambiental, direitos sociais e trabalhistas com segurança.
 
Santa Catarina tem diferencial favorável
 
Face ao cenário mundial e brasileiro, Santa Catarina possui um diferencial competitivo a ser explorado, de ofertar ao mercado consumidor catarinense e seus turistas um produto diferenciado, rastreado desde a origem, com status sanitário reconhecido como único estado da federação e da América com status livre de febre aftosa sem vacinação.
Segundo Adriano Santos, da ABRAS, (Associação Brasileira de Supermercados) 84% dos alimentos são comercializados por meio do supermercado, e um faturamento de 8,8% com a carne. Já Gustavo Loyola (ex-presidente do Banco Central por duas vezes),  enfoca que a China do ponto de vista de perspectiva de crescimento, é  o país com maior potencial de consumo de proteína animal, mesmo  reduzindo seu crescimento para um PIB estimado de 7,5%. Mercados como o do Japão com crescimento estimado de 2-3%.
O cenário da América Latina apresenta crescimento promissor para países como Colômbia, Peru e Chile, Venezuela, enquanto a Argentina não apresenta o mesmo potencial devido ao momento econômico que atravessa.
O consumo per capta no Brasil em 2013 está estimado em 42kg de carne em função do aquecimento do mercado interno o consumo tem crescido a uma taxa de 2,1% ao ano desde 2000, chegando muito próximo do patamar de consumo de países desenvolvidos. Esta é uma grande oportunidade de mercado, pois o Brasil ainda importa carnes do Uruguai, Argentina, Chile, Nova Zelândia e Austrália.
 
Região Serrana no caminho certo
 
Os técnicos catarinenses envolvidos no projeto e que marcaram presença no Congresso Internacional tiveram a certeza de estão no caminho certo no que propõe aos produtores rurais da região, é o que buscam e/ou aprimoram muitos países onde a pecuária de corte é desenvolvida. “Desta forma temos um trunfo, com ambiente preservado na região. É exatamente o que está sendo feito com o programa “Campos das Tropas”, ressalta Caroline Ribeiro.
Dados recentes apontam que apenas 5% das carnes consumidas no país são certificadas, 15% são carnes de qualidade, com origem conhecida e 80% são comuns e aqui na Serra Catarinense está uma oportunidade de que neste mercado diferenciado com valor agregado existe o potencial para a pecuária de corte. “No entanto para alcançar esta meta é preciso, como primeiro passo, o desafio de estruturar a cadeia produtiva regional, visando aumentar a oferta de carne de qualidade, conquistando assim estabilidade ao sistema produtivo com rentabilidade ao produtor, qualidade, segurança e preço compatível ao consumidor”, reforçou Caroline.

Fonte: Paulo Chagas

Compartilhe esta página: Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no MySpace

 

Nome:
E-mail:
 
 
ANO 13 - Nº 164 - SETEMBRO / OUTUBRO 2014
nike shox hogan scarpe calcio Tiffany christian louboutin Scarpe Adidas superstar Scarpe Reebok Adidas Scarpe nike sb Scarpe nike air force air jordan adidas scarpe Tacchi Scarpe da donna Scarpe Scarpe Adidas adidas Scarpe Scarpe Scarpe hogan oakley nike air presto new balance nike air max adidas Scarpe nike free
Todos os direitos reservados à Jornal O Palanque - Produzido por WLSistemas
nike shox hogan scarpe calcio Tiffany christian louboutin Scarpe Adidas superstar Scarpe Reebok Adidas Scarpe nike sb Scarpe nike air force air jordan adidas