Artigos
Câmara de Bocaina do Sul
Câmara de Campo Belo do Sul
Câmara de Cerro Negro
Câmara de Otacílio Costa
Câmara de Rio Rufino
Câmara de São José do Cerrito
Câmara de Urubici
Câmara de Urupema
Câmara do Painel
Coluna DR.Manoel
Cultura
Editais
Editorial
Educação
Esportes
Estamos de Olho
Fique Sabendo
Geral
Meio Ambiente
Negócios
O Tema é...
Polícia
Política
Saúde
Tecnologia
Trânsito
 

A queima de campo é tida como um processo de manejo para a pecuária
Cadastrado em: 2/8/2013

Tamanho da letra

| Lages |

As queimas de campos não ocorrem unicamente na Região da Serra Catarinense. No Brasil, elas acontecem praticamente em todo o território, motivadas por fatores locais. A explicação, conforme Márcio Pamplona, presidente da Associação Rural de Lages, tem base em estudos científicos que comprovam que a queima elimina as plantas invasoras e destroem a palha seca acumulada, dando lugar à aceleração do rebrote de pastagem fresca para o gado, na primavera. “Em nossa região a queima não pode ser comparada com outras de maior vulto, como as que acontecem na região Amazônica ou nos cerrados, e que destroem grandes áreas de vegetação”, relata.
Ainda conforme o sindicalista, nesta época, o produtor rural é taxado de vilão, o que não procede. O fogo é usado como uma ação de manejo. Além disso, a prática é permitida, é legal. Não ocorre crime ou fraude, desde que sejam observados os procedimentos, que incluem a obtenção das licenças devidas junto à Fatma, e que se proceda a utilização de todas as formas recomendadas para realizar o processo de queima de campo, na propriedade. Por outro lado, a queima produz aumento de nutrientes, uma vez que a temperatura não é elevada (em torno de 70 graus) e volta aos padrões normais em 3 ou 4 minutos, sem afetar as camadas inferiores. “Na verdade há um enriquecimento do solo e a queima se torna um agente de mineralização, portanto, ela é encarada como um benefício.
É importante que também seja observado, que os campos nativos estão cada vez mais raros, e só existem em grande extensão na Região Serrana de Santa Catarina. Isso se explica, porque as queimas são necessárias em muitos casos. Há mais de 300 anos acontece essa prática na região e os campos continuam produzindo excelentes pastagens. O pecuarista sabe o que está fazendo e também sabe do resultado da ação. “Caso contrário, outras atividades como a agricultura ou reflorestamento já teriam sido instaladas, há muito tempo, pois, se não fosse o manejo da pecuária e da queima, os campos não mais existiriam”, complementou Márcio Pamplona.

Fonte: Paulo Chagas

Compartilhe esta página: Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no MySpace

 

Nome:
E-mail:
 
 
ANO 13 - Nº 164 - SETEMBRO / OUTUBRO 2014
nike shox hogan scarpe calcio Tiffany christian louboutin Scarpe Adidas superstar Scarpe Reebok Adidas Scarpe nike sb Scarpe nike air force air jordan adidas scarpe Tacchi Scarpe da donna Scarpe Scarpe Adidas adidas Scarpe Scarpe Scarpe hogan oakley nike air presto new balance nike air max adidas Scarpe nike free
Todos os direitos reservados à Jornal O Palanque - Produzido por WLSistemas
nike shox hogan scarpe calcio Tiffany christian louboutin Scarpe Adidas superstar Scarpe Reebok Adidas Scarpe nike sb Scarpe nike air force air jordan adidas