Artigos
Câmara de Bocaina do Sul
Câmara de Campo Belo do Sul
Câmara de Cerro Negro
Câmara de Otacílio Costa
Câmara de Rio Rufino
Câmara de São José do Cerrito
Câmara de Urubici
Câmara de Urupema
Câmara do Painel
Coluna DR.Manoel
Cultura
Editais
Editorial
Educação
Esportes
Estamos de Olho
Fique Sabendo
Geral
Meio Ambiente
Negócios
O Tema é...
Polícia
Política
Saúde
Tecnologia
Trânsito
 

Agentes de trânsito recebem treinamento
Cadastrado em: 13/5/2014

Tamanho da letra

| Lages |

Cerca de 50 agentes de trânsito participaram do primeiro módulo do curso de capacitação, que iniciou neste sábado (10), na sede do Sindicato dos Condutores de Veículos e Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Cargas e Passageiros de Lages (Sintrol). A empresa de assessoria e consultoria em trânsito Ascontran, de Blumenau, foi contratada pela Secretaria de Segurança e Ordem Pública para ministrar o treinamento.
Estão previstos seis encontros ao longo do ano. Nesta primeira fase o curso foi ministrado por Julyver Modesto de Araújo. Ele é oficial da Polícia Militar de São Paulo, mestre em direito e especialista em trânsito, atuando na área há mais de 16 anos. O treinamento teve como tema o gerenciamento de conflitos com os motoristas infratores, destacando para o agente a importância de um tratamento adequado para a população. “Mesmo quando as pessoas cometem infrações de trânsito elas precisam ser tratadas de uma maneira adequada para permitir que aquela multa faça com que o motorista mude seu comportamento”, comenta Julyver.
De um modo geral, destaca que existe um conflito que é bastante comum na atividade profissional do agente de trânsito. De um lado está o condutor preocupado apenas com seu interesse particular, pois quando o cidadão comete uma infração de trânsito muitas vezes tem uma motivação pessoal e, do outro, está o agente procurando defender o interesse público, da coletividade. “O desafio é evitar que se transforme em um confronto e discussão e até mesmo agressões verbais e físicas. Nesse conflito pessoal, em qualquer cidade do país, existe uma série de desrespeitos, muitas vezes gerada por uma abordagem inadequada ou pelo próprio comportamento do condutor que não reconhece no agente uma autoridade”, diz.

Atribuições do agente

Os agentes de trânsito tem a incumbência de exercer duas funções principais: fiscalização e operação de trânsito, com o monitoramento técnico da via, permitindo, esta última, a fluidez do tráfego, travessia adequada de pedestres e o convívio harmonioso na via pública. Já a fiscalização é o controle do cumprimento das leis. “Propomos no nosso treinamento que a fiscalização seja muito mais preventiva do que repressiva. Que o agente seja uma pessoa proativa para evitar que as infrações aconteçam ao invés de esperar que elas ocorram para depois autuar e tomar providências”, diz Julyver.
A atuação dos agentes de trânsito tem pouco mais de dois anos na cidade e o processo de municipalização é recente. “As pessoas ainda não se acostumaram com a figura do agente de trânsito como alguém responsável por colocar ordem na via pública. Acredito que com o tempo as crianças começam a observar o comportamento dos pais e o trabalho dos agentes. Quando forem adultos irão reconhecer neles a figura de alguém que está ali para colaborar com a segurança no trânsito”, enfatiza.

Desconhecimento das leis

A agente Ghiovana Ochner de Souza reitera a importância do curso, que esclarece como lidar com divergências e conflitos comuns no dia a dia de sua atividade profissional. “Quando a orientação não basta, infelizmente precisamos autuar e usar os procedimentos legais, e isso comumente gera algum desentendimento, porque estamos atingindo financeiramente o infrator, que normalmente não concorda. Precisamos saber como lidar nessas situações e qual a melhor maneira de abordá-los”, diz.
A coordenadora dos agentes, Claudia Silva, destaca que durante o curso foram abordados conflitos reais. A falta de conhecimento sobre a legislação de trânsito por parte dos motoristas foi lembrada como uma das principais dificuldades. “Em muitas infrações cobradas percebemos que são equívocos por falta de conhecimento. Um melhor aperfeiçoamento dos condutores facilitaria o trabalho”, finaliza.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Compartilhe esta página: Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no MySpace

 

Nome:
E-mail:
 
 
ANO 13 - Nº 164 - SETEMBRO / OUTUBRO 2014
nike shox hogan scarpe calcio Tiffany christian louboutin Scarpe Adidas superstar Scarpe Reebok Adidas Scarpe nike sb Scarpe nike air force air jordan adidas scarpe Tacchi Scarpe da donna Scarpe Scarpe Adidas adidas Scarpe Scarpe Scarpe hogan oakley nike air presto new balance nike air max adidas Scarpe nike free
Todos os direitos reservados à Jornal O Palanque - Produzido por WLSistemas
nike shox hogan scarpe calcio Tiffany christian louboutin Scarpe Adidas superstar Scarpe Reebok Adidas Scarpe nike sb Scarpe nike air force air jordan adidas